Nos últimos meses o Brasil passou por um dos maiores vazamentos de dados de sua história. Diversos tipos de informações pessoais e telefônicas de mais de 220 milhões de brasileiros, inclusive já falecidos, foram expostas na Internet e abriram espaço para possibilidades de golpes e fraudes virtuais. 

Informações como nome, data de nascimento, endereço, Cadastro de Pessoa Física (CPF), foto, pontuação de crédito, renda, situação na Receita Federal, registros telefônicos, escolaridade, benefícios do INSS e até mesmo informações da rede social LinkedIn. Essas que abrem precedentes para criminosos abrirem contas bancárias, chaves Pix e fazer empréstimos em nome da pessoa lesada. A origem desses dados roubados ainda é uma incógnita, é possível que tenha surgido de diversas fontes, inclusive de vazamentos anteriores. 

No ápice da divulgação sobre os dados vazados, surgiram diversos sites com o intuito de saber se seus dados estavam incluídos nesse meio, mas as solicitações exigiam o CPF, ou seja, seria necessário fornecer dados pessoais para fazer a consulta, o que não é considerado uma prática segura.

É muito pouco provável que os dados vazados sejam colocados em sigilo novamente, dessa forma, confira algumas atitudes que podem colaborar para a proteção de suas contas e informações na Internet de agora em diante: 

  • Troque senhas e logins por outras opções mais seguras; 
  • Utilize da ‘verificação em duas etapas’;
  • Evite abrir links e anexos de remetentes desconhecidos, tenha cuidado com caracteres estranhos e ao que é pedido no e-mail; 
  • Tenha cautela e cuidado ao incluir dados pessoais em páginas da Internet que não são confiáveis;
  • Em caso de ligações de serviços, desconfie se durante o atendimento o funcionário da empresa pedir informações sensíveis (senhas, número de cartão de crédito e código de segurança), uma alternativa é buscar contato com os meios oficiais da companhia e verificar se o contato é oficial.

Para saber se você já está sendo vítima de operações fraudulentas, o Banco Central criou o sistema “Registrado”, que monitora todas as transações financeiras do país, nele é possível saber se seu CPF ou CNPJ está sendo utilizado para movimentações financeiras de todos os tipos. O que permite ao cidadão se precaver contra qualquer fraude, estando atento a movimentações atípicas. 

Não é possível saber se e quais informações a seu respeito constam nos vazamentos ocorridos. Por conta deles,  tentativas de golpes, que já são comuns, tendem a ficar ainda mais trabalhadas, confundindo o usuário durante a abordagem. Por isso, mantenha sempre a atenção!